Terça-feira, 17 de Junho de 2014

POEMA DA AMANTE

 

 

 POEMA DA AMANTE

(Adalgisa Nery Brasil)

 

Eu te amo...

Antes e depois de todos os acontecimentos,

Na profunda imensidade do vazio

E a cada lágrima dos meus pensamentos.

Eu te amo Em todos os ventos que cantam,

Em todas as sombras que choram,

Na extensão infinita dos tempos

Até a região onde os silêncios moram.

Eu te amo Em todas as transformações da vida,

Em todos os caminhos do medo,

Na angústia da vontade perdida

E na dor que se veste em segredo.

Eu te amo Em tudo que estás presente,

No olhar dos astros que te alcançam

E em tudo que ainda estás ausente.

Eu te amo Desde a criação das águas, desde a idéia do fogo

E antes do primeiro riso e da primeira mágoa.

Eu te amo perdidamente

Desde a grande nebulosa

Até depois que o universo cair sobre mim Suavemente.

publicado por natydocura às 18:41
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 9 de Junho de 2014

UMA BRISA

Uma brisa suave anuncia-nos o Céu

quando em extâse cubro o teu corpo como um véu.

Que na troca de olhares, no sorriso cúmplice

tudo o que somos se resume.

Quando nada se diz e o suor escorre

e o teu prazer pede que o exume

os beijos falam...

e o medo morre!

 

Aí, o vulcão que te liberto mergulha-me;

minha boca sente na tua todo o mel

dos favos ricos, da tua sede, do pincel

com que a tua mão pinta arrepios na minha pele.

 

E a tua lava envolve-me, ardente e segura

e deixa do meu pranto a fonte enxuta

E quando ao acaso o teu verbo augura

entrego-me extático sem dar luta!

 

E é aí, nesse mesmo momento

em que partindo da tua face benzida a prazer,

do teu espírito já errante, viajante, voador,

que o meu se funde à tua Paz com um grito que vem ser

como o de Ipiranga, libertador!

 

Voamos para além do Céu!

Voamos para além da dor!

Voamos para viver o que o destino nos investe...

A Paz celeste...

O nosso Amor!

Rui Dini

 

 

tags:
publicado por natydocura às 12:47
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

LUA

 

  

Quando a lua risonha brinca no céu…

Enfeitada de estrelas cintilantes,

Em noites de brisa, de cânticos ao léu…

De boêmios da noite, vultos errantes…

Ou bêbados que riem da própria sorte…

De minha sacada, converso com ela…

Ouço histórias, me escondo da morte,

Deixando que venha enfeitar a janela

 

tags:
publicado por natydocura às 12:08
link do post | comentar | favorito
Domingo, 8 de Junho de 2014

A DISTANCIA

Distância

publicado por natydocura às 08:47
link do post | comentar | favorito
Sábado, 7 de Junho de 2014

AMOR

Amor

tags:
publicado por natydocura às 18:50
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 6 de Junho de 2014

MULHER

 

 

 

 

 

 

  Amy*

Mulher guerreira                          

Ou menina faceira

 Não se molda às circunstâncias
 E se lhe privam o prazer,                          

Vira a  guerreira                          

Não aceita imposições

Vai em busca, indo a luta                          

Para não se deixar morrer!
 Mulher faceira                 

Menina guerreira 
Quer  viver plenamente,                          

buscando, amando,                          

desejando, sonhando,                          

e sentindo o prazer de viver.

sinto-me:
tags:
publicado por natydocura às 19:43
link do post | comentar | favorito

MARAVILHOSAS MARCAS

 

 


Jane Lagares
       

O tempo não pode ser perdido..          Deve ser consolidado em algo.. de sonhos.. de seu!!!!         Um nada completo não existe...         porque no silêncio do seu "eu"         existe a convivência consigo mesmo...         Passamos por luas..         Sol,         Rios,         Montanhas...         Desertos,         Mares, calmos e bravios..         Buscas de tudo...         Uma viagem na nave vida...         O pensamento é um eterno companheiro..          O tempo bom e cruel...         Arrasta-se quando temos dores,         Voa quando a alegria nos invade..         Mas, o tempo..Esse trabalha com a equidade...         Cego e justo!         Cada um traz histórias e tatuagens:         Na alma, na convivência, no ser...         Histórias sem fins,          Com fins, alegres e tristes..         Bravateamos...         Com passagens guardadas em uma portinha         dentro de cada um..         Onde só nós temos acesso e a chave...         E tornam-se base para decisões,         um perfeito sistema de informações,         de como ser ou não fazer..         do que querer ou não querer.....         Mas, essas bagagens , por vezes tão pesadas,  nos conduzem  e nos ensinam  sermos melhores..         Pesam quando a carregamos,  deixando a impressão,         por vezes, que não vamos vencer..         E aliviam, quando conseguimos transportá-las com resignação, dando-nos  a certeza da vitória, do superar..          Essa é a vida.. tão buscada e refletida..          Com paradigmas muitos e, com quebras inúmeras..          Correntes que aprisionam...          Ações que libertam...         Páginas de livros escritos por nós mesmos,         autores dessa obra do existir..          Escritas com cores variadas,          Ilustrações tantas..         Inseguranças e convicções..         Deixando a nossa marca,         Deixando no mundo, maravilhosamente,         as nossas digitais.

sinto-me:
publicado por natydocura às 19:33
link do post | comentar | favorito

Contando os dias

 

 

 

 

 

Estou contando os dias,

contando as horas e

e cada segundo para te encontrar.

Quero te dar muito carinho

e  milhões de beijinhos.

Adoro-te

 

sinto-me:
publicado por natydocura às 15:21
link do post | comentar | favorito

Amo Você

 

 

 

O dia amanheceu chuvoso.
A natureza chora.
Chora também meu
coração.
A saudade 
que tua ausência me trás,
Aperta-me o
peito.
Sufoca em mim a voz
Que teima
em querer
Gritar
alto e para todos,
o quanto  te amo .
Mas o grito fica
retido
No vazio da solidão 
Em que me encontro.
Resta-me apenas o consolo 
De poder molhar meu rosto
Nas águas da chuva
E misturar minhas
lágrimas
Às lágrimas da natureza
Deixando-as, juntas,
caírem 
Fertilizando o solo que nos sustenta.

Marisa
Nieri®

sinto-me:
tags:
publicado por natydocura às 15:09
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 5 de Junho de 2014

Ao meu amor

 

 

Um sentimento tão profundo

vem brotando em meu coração.

A cada instante,a cada momento sem você me sinto vazio.

Você roubou um pedaço de mim...

Você me trouxe algo que iluminou meus dias...

minhas tardes...

minhas noites...

Meus pensamentos se concentram apenas em uma coisa,

em você amor...

A cada palavra sua sinto meu coração saltitar.

Meus olhos se enchem de lágrimas de saudade...

Sonho todos os dias...

O dia que poderemos juntos caminhar pela areia da praia...

O dia em que juntos poderemos admirar o nascer e o por do sol...

O dia em que juntos veremos o cair da chuva e nela poder brincar...

O dia em que juntos poderemos adormecer e acordar lado a lado.

O dia em que juntos nos tornaremos um só...

        

Comunicar

 

publicado por natydocura às 17:15
link do post | comentar | favorito

DESCOBRI

 

                                                                             Que as palavras têm sabor

Descobri no teu corpo

Que as palavras têm cheiro,

forma Nos vestem E nos despem

E têm a textura da pele.

Descobri nas tuas mãos

Que as palavras se prendem

Nos prendem

Se guardam e nos guardam.

Aprendi contigo

A eternizar o instante

Em que somos a palavra:

Nós E a anular o tempo

Em que as palavras

São só letras que se soletram

E não têm cheiro,

sabor Forma textura calor

 Porque ditas a um

Porque ditas a sós.

publicado por natydocura às 16:54
link do post | comentar | favorito

.A minha terra

Montemor-o-Novo tem construído o presente e projectado o futuro ancorado no seu passado histórico, rico de memórias. Aí cimenta a sua identidade e é patente a sua força e diferença face a todos os outros lugares do Mundo. Uma identidade que afirma a sua presença ao Alentejo, região em que o Homem moldou e soube manter ao longo dos tempos uma "linguagem", uma cultura, uma arquitectura, única no país e na Europa. Outro mundo, outro ritmo. Unidos por uma forte vontade colectiva de progresso, eleitos e população, têm vencido atrasos ancestrais, tendo vindo a construir um concelho de apetecida qualidade de vida, de activa dinâmica comunitária, de apego a valores democráticos e de justiça social, de prestígio nacional e internacional. Montemor-o-Novo, no que do Poder Local depende, está a dar um salto qualitativo no seu desenvolvimento. Uma visível mudança positiva tem vindo a inscrever Montemor no futuro. As nossas inovadoras Piscinas Recreativas, o seu magnífico Parque Urbano, o ímpar Parque de Exposições, realizações por excelência que projectam Montemor, surgem no topo de um vasto programa autárquico centrado na melhoria das condições de vida dos montemorenses e da valorização da cidade e do concelho. Muito se tem feito nestes últimos 25 anos de exercício. Destacamos um pouco do muito feito: o enorme sucesso da política municipal de urbanismo e apoio à habitação, o aumento contínuo de investimento nos arruamentos e caminhos, no abastecimento de água e saneamento, na imagem urbana, na higiene e limpeza e na iluminação; o marcante programa de acção social onde pontifica o salto no apoio a reformados, idosos e deficientes; o ambicioso plano ambiental; as acções de apoio ao desenvolvimento económico; a qualidade, relevância e prestígio da política sócio-cultural e desportiva; o enorme reforço do apoio às instituições e iniciativas locais incrementando as actividades e dinâmicas concelhias; a descentralização para as freguesias, a defesa da regionalização e da democraticidade do Poder Local; a gestão democrática e participada pelas populações. No entanto, sabemos que os problemas estruturais que se sentem no nosso concelho, à semelhança de tantos outros no Alentejo, não dependem das autarquias nem da vontade das populações. Dependem de políticas do poder central que contínua a esquecer o interior. Daí que saibamos que para resolver os principais problemas (saúde, emprego, investimento, diversificação da base económica, etc.) é fundamenta l uma nova política nacional de desenvolvimento regional. Por isso, para além da disponibilidade de colaboração com o Poder Central é indispensável uma forte acção reivindicativa, que em Montemor já deu os seus frutos, como é o caso da construção da Barragem dos Minutos ou de mais e melhores instalações para os idosos, mas há que continuar e reforçar as reivindicações ao Poder Central, para que outros projectos, necessários a Montemor, se concretizem. Uma enorme contradição percorre hoje as sociedades humanas. Por um lado, uma enorme e crescente capacidade para produzir riqueza. Por outro lado, uma igualmente enorme e crescente desigualdade social decorrente da apropriação daquela riqueza por uma pequena elite à escala mundial e também à escala nacional. Estamos profundamente convictos que é possível e desejável lutar por uma sociedade onde aquele imenso potencial sirva a generalidade da população. Estamos profundamente convictos que esse é o caminho que honrará a história e a memória do Alentejo e do seu povo, que esse é o caminho para um futuro de dignidade para todos.

.mais sobre mim

.links

.tags

. todas as tags

.pesquisar

 

.arquivos

. Março 2016

. Outubro 2015

. Agosto 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Agosto 2012

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

blogs SAPO

.subscrever feeds